• Sandra Roos Santos

O cliente solicitou um Plano de Contingência. E agora?

Atualizado: 18 de ago. de 2021

Dicas para preparar um plano de contingência para a sua empresa


Esta semana cheguei a uma empresa e meu cliente pediu auxílio para preparar um plano de contingência. O interesse no assunto surgiu porque a empresa fornece para uma montadora e, após passar por uma auditoria de processo, recebeu um relatório evidenciando que alguns requisitos ainda não são atendidos, entre eles a necessidade de ter um plano de contingência.


Plano de Contingência para tratar o risco de parada de máquinas e atraso nas entregas

Na verdade, essa é uma questão importante! Afinal, mesmo que você não forneça para uma montadora, uma parada de máquina inesperada pode comprometer os prazos de entrega acordados com os seus clientes, não é mesmo? E em alguns casos, a empresa ainda está sujeita a multas contratuais. Por isso, precisamos ter um plano B, ou seja, uma plano de contingência.



Qual a finalidade do plano de contingência

O objetivo do plano é manter a continuidade do fornecimento em caso de ocorrerem eventos como:

  • Falhas em equipamentos-chave;

  • Interrupção das utilidades, como água e energia elétrica;

  • Rupturas na infraestrutura e;

  • Interrupção do fornecimento de produtos, processos e/ou serviços providos externamente.

Em outras palavras, o plano de contingência é uma das formas para se tratar o risco de paradas na produção. Segundo a ISO 31000 "Gestão de Riscos - Diretrizes", quando se fala em tratamento de risco, pode-se adotar uma ou mais das opções a seguir:

Opções para Tratar o Risco
  • Evitar o risco ao decidir não iniciar ou continuar com a atividade que dá origem ao risco;

  • Assumir ou aumentar o risco de maneira a perseguir uma oportunidade

  • Remover a fonte de risco;

  • Mudar a probabilidade;

  • Mudar as consequências;

  • Compartilhar o risco;

  • Reter o risco por decisão fundamentada.

Ao adotar o plano de contingência, muda-se as consequências, pois estaremos preparados caso o risco venha a se concretizar. Isso quer dizer que, mesmo com a parada de produção, o fornecimento ao cliente terá continuidade.

Outra opção é mudar a probabilidade, implementando um programa de manutenção preventiva para os equipamentos, por exemplo. Nesse caso, a chance de parada diminui.

Adotando as duas opções, o risco será menor ainda.


Quer saber mais sobre riscos? Leia o post ISO 9001 - Avaliação e Tratamento de Riscos e Oportunidades.

Como montar um plano

Para preparar um plano eficaz, é necessário envolver as pessoas que conhecem os processos e equipamentos da empresa. Assim, você conseguirá uma avaliação consistente, as melhores ideias e uma boa adesão ao plano.

  1. Identifique os processos, equipamentos e utilidades essenciais para manter as saídas de produção e assegurar o atendimento aos requisitos do cliente. Considere também os produtos, processos e/ou serviços providos externamente.

  2. Avalie esses processos, equipamentos, utilidades, produtos e serviços quanto ao risco que oferecem e o seu impacto no cliente.

  3. Defina alternativas para o caso haver falhas nos processos e equipamentos da empresa, no abastecimento de utilidades e de produtos, processos e/ou serviços providos externamente.

Entre as alternativas que podem ser adotadas estão a locação de equipamentos, o uso de equipamentos semelhantes, a subcontratação de fornecedores, entre outros.


Informações essenciais do plano

Para cada alternativa, é importante definir no mínimo:


Ação a ser tomada

O que a empresa fará quando ocorrer o evento. Por exemplo, caso a ponte rolante venha a falhar, será locado um guincho para fazer a movimentação de materiais.


Empresa

Nome da empresa que executará a ação de contingência. No caso do exemplo, você vai registrar o nome da empresa onde locará o guincho.


Contato

É o nome do responsável pela execução da ação. Nesse exemplo, é a pessoa com quem você irá falar na empresa de locação do guincho.


Telefone

Registre o número do telefone da pessoa de contato.


Mais algumas Dicas
  • Você também pode incluir o tempo até a ação de contingência ser implementada. Por exemplo: Até o guincho chegar na empresa é necessário 1 hora.

  • Para reduzir os riscos, busque mais de uma alternativa.

  • Se uma das alternativas for a subcontratação de fornecedores, faça um bom desenvolvimento desses fornecedores. É necessário conhecer a capacidade de cada um para não ter imprevistos ao acionar o plano.

  • Comunique o plano aos envolvidos e o local onde o mesmo está disponível para consulta.

  • Se você quiser preparar um plano mais completo, a IATF 16949:2016 tem requisitos específicos para um plano de contingência.


Depois de definir as alternativas, é recomendável:
  • Definir uma sistemática para notificar ao cliente a extensão e a duração da situação que tenha impacto em suas operações.

  • Testar a eficácia do plano de contingência, usando simulações, por exemplo.

  • Definir se a sistemática para validar o produto precisa ser mais rigorosa enquanto a ação de contingência estiver em vigor.


Se você quiser receber um modelo de plano de contingência, inscreva-se na newsletter do blog.




108 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo